7 dicas para advogados conquistarem clientes

Os profissionais da advocacia precisam lançar mão de estratégias de marketing que os destaquem dos demais. Além de captar clientes, esses profissionais precisam estabelecer metas, preocupar-se com espaço físico para o exercício de sua atividade, aprender a cobrar por seus serviços e continuar aperfeiçoando seus conhecimentos.

Nenhuma dessas tarefas é fácil e as palavras de ordem são foco, organização e prospecção. Um profissional que está em constante comunicação obtém mais resultados. Para isso, preparamos estas 7 dicas que vão ajudá-lo a colocar seu nome onde precisa estar: na cabeça dos clientes certos.

Entenda o marketing do advogado e as questões éticas

A advocacia é permeada por fortes questões éticas com relação ao capital intelectual e cabe ao profissional conhecer o que é permitido e o que é vetado na divulgação do seu trabalho. De acordo com o Provimento 94/2000, que diz respeito à publicidade, propaganda e informação da Advocacia, as questões éticas abrangem principalmente o uso indevido de informação para fins de prospecção de clientes e uma imagem pouco condizente com a sobriedade da profissão. Ao advogado não é permitido, por exemplo, veicular propaganda em rádio e TV, mas é lícito em mídias impressas e internet, desde que com teor adequado.

Estabeleça metas, e cumpra!

Escritórios e profissionais em início de carreira, muitas vezes, terminam por aceitar tudo o que aparece para adquirir know-how, mas isso é um erro. Segundo especialistas, é necessário determinar qual a área do Direito se pretende atuar (e, dentro dela, pelo menos 3 segmentos condizentes com a expertise da equipe) e manter o foco, analisando resultados e expectativas em curto, médio e longo prazos. Isso evita que se perca um tempo precioso embrenhando-se em atendimentos nos quais não se está focado ou sequer adaptado, o que gera insatisfação e uma gama de clientes não lucrativos.

Conheça seu mercado de atuação

O estabelecimento da meta exige que o profissional conheça profundamente o segmento no qual escolheu atuar. Questões como: “qual o tamanho do mercado?”, “vale a pena atuar em segmento já saturado?”, “quais as expectativas do setor?”, “como estão os profissionais atuantes na área?”, “qual o perfil dos clientes?” e “o que é necessário para consolidar minha marca jurídica?”, são importantes para que você emita mensagens claras sobre o seu trabalho.

Ofereça seu patrimônio intelectual

Captar clientes na advocacia é uma batalha mais intelectual do que financeira e os eventuais custos de marketing devem ser encarados como investimento. Sai na frente o profissional que busca se aproximar de seu mercado oferecendo conhecimento.

Procure estar presente em federações, associações, eventos e sindicatos, ministre palestras e dedique-se a publicar artigos em periódicos do ramo, tornando-se referência em seu segmento. Não deixe que seus textos passem em branco sem que seus potenciais e atuais clientes façam uma conexão entre um excelente artigo e seu nome.

Frequente locais onde seus clientes estão

O isolamento é um dos piores inimigos de um advogado em início de carreira. O profissional deve participar da vida da comunidade e ampliar suas conexões através de networking informal, visitas programadas ou outras formas de estar no local certo e na hora certa. É este o momento de estar munido do sempre eficiente cartão de visitas.

Marque presença na internet

O Art. 5º do Provimento 94/2000 admite como lícita, para fins de divulgação, a utilização de internet, fax, correio eletrônico e outros meios de comunicação semelhantes. Mas fique atento, pois a utilização desses veículos deve ser compatível com o código de ética profissional.

Para estar presente na web, siga estas dicas:

  • Invista em site com layout bem estruturado e que demonstre profissionalismo ao fornecer as informações sobre você;

  • Dedique-se a um blog que servirá de fonte de pesquisa para outros profissionais e clientes em potencial, além de compartilhar artigos e notícias de credibilidade;

  • Saiba diferenciar as funções de cada rede social. O LinkedIn é voltado para networking de perfis profissionais e o Facebook, apesar de ser voltado ao entretenimento, permite que você restabeleça contatos que podem se converter em clientes;

  • Evite cair na tentação do mero anúncio publicitário. Estar na lista telefônica e nos classificados é permitido e incentivado, mas não deixe que seu conhecimento seja visto como um produto em uma prateleira.

Invista em equipe especializada

Ainda que os softwares de gestão facilitem e profissionalizem o trabalho em um escritório, é indispensável contar com o apoio de alguém apto a converter ligações em clientes, pois acredite: isso vai além da simpatia e do cafezinho. Nomeie um profissional com treinamento adequado para a função de atender aos telefonemas e visitas, sanar dúvidas e fazer uma triagem da demanda, convertendo esses dados na média de procuras e contratos efetivamente firmados.

Lembre-se que o retorno financeiro é consequência de um trabalho bem-feito e uma boa reputação. E você, o que tem feito para conquistar seus clientes? Compartilhe com a gente nos comentários!

Escreva um comentário